domingo, 28 de junho de 2009


Tenho visto muito amor por aí. Amores mesmo: gigantescos, descomunais, profundos, sinceros, cheios de entrega, doação e dádiva. Mas esbarram na dificuldade de se tornar bonitos. Apenas isso: bonitos, belos ou embelezados, tratados com carinho, cuidado e atenção.

Esses amores que são verdadeiros, eternos e descomunais, de repente se percebem ameaçados e tão somente porque não sabem ser bonitos: cobram, exigem, rotinizam,descuidam, reclamam, deixam de compreender, necessitam mais do que oferecem, precisam mais do que atendem, enchem-se de razões.


Não tema o romantismo. Derrube as cercas da opinião alheia. Saia cantando e olhe alegre. Para quem ama, toda atenção é sempre pouca. Quem ama feio não sabe que pouca atenção pode ser toda a atenção possível. Deixe o seu amor ser a mais verdadeira expressão de tudo que você é. Não se preocupe mais com as definições. Ame-se o suficiente para ser capaz de gostar do amor e só assim poder começar a tentar fazer o outro feliz.

5 comentários:

- um anjo ateu. disse...

Pra que seja amor, esqueça da razão. Pra que viva o amor, una-se. Pra que dure, esqueça o mundo. Pra que sinta, apenas feche os olhos e deixe-se livre. Pra que ame, queira amar.

Caroline Leite disse...

sasahsauashasuas Caio F. é foda hahahaha eu quero o livro novo dele "/
Ahhh adorei seu post ^^
Bjooo t+

Myÿ h disse...

Adorei o texto! :)
As vezes o amor começa bonito, e depois algumas pequenas atitudes e acontecimentos passam a deixá-lo menos bonito, porém, sem perder o brilho do amor! Um brilho que nunca se perde se há amor de verdade!

Obrigada pela visita! Beijo :*

L is for luá disse...

para amar é preciso muita coragem u-u

terrible_grrrl disse...

Não te vi ontem.
A mulher invisível é realmente muito bom, eu vi.
Veja Transformers 2, recomendo (: